Cadelinha que parecia de pedra nunca imaginou poder vir a ser tão amada

Em abril de 2015, uma mulher viu um cão abandonado na periferia de Atenas, Grécia, cujo rosto estava completamente endurecido parecendo pedra.

Ela tirou uma foto e postou no Facebook, na esperança de que as pessoas certas pudessem ver e conseguissem ajudar. O cão de 5 anos de idade, estava doente, com medo e nem nos seus melhores sonhos imaginaria que aquele dia seria o dia que marcaria o fim do seu sofrimento.

Petra, a palavra grega para “pedra”, aparentemente nunca tinha interagido com pessoas, fazendo-a ficar aterrorizada perto delas. Aproximar-se dela era quase impossível – fugiria sempre que alguém chegava muito perto. Resgatá-la estava a ser extremamente difícil, mas todos se recusaram a desistir.

Depois de ter sido finalmente “capturada”, foi levada para o abrigo “Save a Greek Stray shelter” em Oropos, na Grécia. Valia Orfanidou, que ajudou a reabilitar muitos cães, assim que conheceu a Petra, sabia que tinha de ajudá-la.

“Eu acho que ela sempre foi uma cadela de rua, porque parecia que nunca tinha estado ou convivido com pessoas”, disse Orfanidou ao portal “The Dodo“. “Mesmo os cães nestas condições, quando estão perto de pessoas são geralmente bem mais amigáveis. Petra parecia que nunca tinha sido tocada.”

Petra estava em muito mau estado, e tinha quase tudo aquilo que se possa imaginar…uma sarna, uma infecção na pele que lhe causava cicatrizes e lesões dolorosas, uma leishmaniose e uma infecção transmitida por insectos que se não for tratada pode ser mortal.. Na verdade, a sarna em estado muito grave foi a verdadeira culpada pelo aspecto de “pedra” com que Petra se encontrava.
Mas, mesmo com o tratamento para todos estes problemas a decorreram a bom andamento, todos os que a ajudavam conseguiam perceber que Petra ainda sofria.

“O problema é que ela ainda não confiava em ninguém”, disse Orfanidou. “Ela nunca queria sair da casota, ela escondia-se sempre que alguém se aproximava e rosnava para os outros cães no abrigo.”

A primeira vez que Orfanidou se tentou aproximar de Petra, o animal estava tão assustado que se enfiou num canto da casota onde usava para fazer as necessidades – mas Orfanidou recusou-se a desistir dela.

“Da segunda vez foi preciso uma hora inteira para andar alguns metros fora jaula”, disse Orfanidou. “Ela andava três ou quatro passos, e depois parava. Eu puxava um pouco e, de seguida, ela dava mais alguns passinhos.”

Petra ficava um pouco mais valente a cada semana que passava, até se tornar cada vez mais disposta a deixar a casiota, e lentamente, começou a tolerar as pessoas a tocar e interagir com ela. Orfanidou nunca desistiu de Petra, e valeu a pena – porque rapidamente ela se tornou num cão completamente diferente.

“Ela começou a abanar o rabo com frequência e a olhar para as pessoas na disposição de brincar connosco e com os outros cães”, disse Orfanidou. Petra, o cão que não queria nada com ninguém, estava agora mais do que pronto para ser amado.

Agora, Petra estava completamente irreconhecível. Já não é mais aquele cão magro e cheio de sarna, ou com medo de interagir com as pessoas. Ela tornou-se no mais belo cão, tanto por dentro como por fora. E para comprovar, segue o vídeo da história que vos acabamos de contar:

Uma bela e inspiradora história não acham?


Gostou da matéria? Compartilhe este artigo. Isso nos ajuda a espalhar bons conteúdos nas redes sociais. Obrigado